Blog

Como evitar que seu site ou aplicativo vire um frankenstein

Você provavelmente já escutou o termo “Análise de projeto”, também conhecido como “Engenharia da informação”. Mas, você saberia responder o que é e qual a sua importância?

Eu acredito profundamente que ninguém gostaria de ter um sistema web tipo frankenstein, que corre o risco de desmontar a qualquer momento, pois tem uma parte em cada canto que do nada pode entrar em conflito com outra parte do projeto ou desconversar completamente do restante dele.

Por isso e muito mais, antes de iniciar o desenvolvimento de um sistema web, é de fundamental importância fazer uma análise de projeto, pois é ela quem irá determinar, a principio, o sucesso e a melhor experiência para o usuário, além de garantir um bom funcionamento por completo do sistema.  

E já adiantando, se você tem uma ideia de negócio digital a Inffus pode realizar a análise e planejamento para garantir o sucesso do projeto . É só acessar esse link  https://inffus.com/briefing e realizar o briefing, logo mais nosso comercial entrará em contato.

Bom, essa análise tem por função principal definir o objetivo e o tamanho do projeto, identificar as prioridades do sistema, determinar os requisitos fundamentais (divididos entre funcionais e não funcionais), compreender o projeto e as necessidades do cliente.

A análise trará soluções, mostrando o quanto vale a pena desenvolver determinado projeto e qual é exatamente o caminho a ser seguido para um bom resultado, evitando assim muitos transtornos e retrabalhos que podem surgir quando o sistema já está em funcionamento.

Ela engloba alguns processos básicos e muitos outros complexos. Vamos falar aqui dos mais básicos para que você tenha uma ideia da importância de tal análise.

A análise e o planejamento são indicados para aplicações com um nível de complexidade maior, que envolve muitos requisitos com múltiplas funcionalidades. Isso ocorre em sistemas de gestão, ERP (Planejamento dos Recursos da Empresa), aplicações multiplataformas e qualquer projeto com regra de negócio que envolve muitos requisitos e atores.

O primeiro processo do analista são as pesquisas de referências,  público-alvo, tendências e conceituação do projeto. Após isso o analista passa para a Arquitetura de informação, ou seja, ele se coloca no lugar do usuário para desenvolver um sistema de organização, navegação e rotulação que trará melhor usabilidade e conforto para o consumidor final.

O analista então define as tecnologias utilizadas, linguagens de programação, frameworks e servidores, passando para o levantamento de casos de uso que é uma das etapas mais importantes da análise pois é nessa etapa que a maioria das possíveis funções são encontradas. O diagrama de casos de uso descreve as principais funcionalidades do sistema e a interação dessas funcionalidades com os atores do mesmo sistema.

Após todo esse caminho, o analista ainda tem muito trabalho pela frente. Ele passa em seguida para o levantamento de requisitos funcionais e não funcionais, e para a modelagem da base de dados que diz sobre a criação do diagrama de entidade e relacionamentos.

Por fim, é feita a prototipagem que consiste na representação gráfica das principais telas do sistema e a definição das etapas e características do projeto. Assim, o analista garante que seu sistema não será um frankenstein e conseguirá funcionar por completo e garantir uma identidade.

Ufa! Quanta coisa, né? E olha que citamos os processos mais básicos, sem entrar em um alto nível de complexidade presente em uma análise. Agora imagine, começar o desenvolvimento de um sistema web sem uma análise de projeto é como dar um tiro no escuro.

Assim como um mestre de obras precisa de um projeto para levantar qualquer construção, um desenvolvedor precisa de uma análise para saber exatamente o que fazer e evitar qualquer dinheiro mal gasto ou problemas futuros. Com a análise é possível determinar um prazo, o custo e a quantidade de profissionais envolvidos para o projeto.

Compartilhe: